1953 - 1955

Em novembro de 1953, alguns jornais cariocas informavam que Suzy King havia viajado para Ilhéus, Bahia.
Seu nome lido assim, misturado aos de outros passageiros, não sugeria em nada o que viria a acontecer alguns dias depois, quando Suzy King voltasse da viagem.


Diário de Notícias, 21 de novembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional

Suzy King tinha viajado a trabalho. Fechara contrato com um circo e fôra se apresentar no interior da Bahia com suas cobras, nessa que parece ter sido uma de suas primeiras turnês com cobras.
O que seguiu à sua volta ocupou as páginas de todos os jornais do Rio de Janeiro e foi seu primeiro grande momento sob os holofotes - num pastiche de Luz del Fuego, uma de suas cobras, mal chegara em casa, teria escapado da caixa onde viera guardada e fugira até a varanda do apartamento vizinho, onde residia uma senhora italiana que fizera um pequeno escândalo pelo susto que levara com a presença da ofídica intrusa em sua varanda.
Acidental ou não, a confusão foi habilmente usada por Suzy King, que falou a todos os jornais que lhe procuraram, aproveitando para se promover e fazendo troça com o episódio, dizendo que suas cobras eram apenas "duas minhocas" e que tanto alarde por parte da vizinha vinha do fato dela ser italiana.

Going back to 1953, Georgina went on tour to her native Bahia, where she performs with snakes at circuses in the out-skirts of cities. When she comes back to Rio de Janeiro, one of her pythons scapes from its cage into the balcony of a lonely Italian lady neighbour who calls the police and sets the scene for a major hullabaloo. The press seizes the chance to sell as many newspapers as possible and Suzy King, the Queen of Pythons, becomes a major source of cheap thrills.







A Noite, 01 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional


Diário da Noite, 01 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional




Última Hora, 01 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional


Diário Carioca, 02 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional





O Jornal, 02 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional


Diário de Notícias, 04 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional



A Noite Ilustrada, 15 de dezembro de 1953
Fonte: Biblioteca Nacional



Alterosa, 01 de fevereiro de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional

Em 1954, Suzy King seguiu chamando atenção aqui e ali como uma segunda Luz del Fuego.



A Noite, 08 de abril de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional

Suas atividades eram comentadas sempre com um certo pouco caso por parte da imprensa e mesmo por parte de outros artistas - vide por exemplo uma declaração da atriz Suzy Kirby à "Revista do Rádio" sobre o quanto a semelhança dos nomes das duas andava trazendo aborrecimentos a ela.


Revista do Rádio, 07 de agosto de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional

Em meados de 1954, Suzy King estrelou o show-fantasia "Noites Românticas de Viena".


A Tarde, Curitiba, PR, 30 de julho de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional


A Tarde, Curitiba, PR, 06 de agosto de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional


A Tarde, Curitiba, PR, 30 de agosto de 1954
Fonte: Biblioteca Nacional

Em fevereiro de 1955, curiosamente, foi publicada uma nota se referindo a um incidente bastante parecido com o ocorrido no final de 1955 - outra cobra de Suzy King fugira para o apartamento de sua vizinha italiana. A cobra, dessa vez, se chamava Freddy e, como a vizinha, assustada, pedira ajuda à polícia, causando, com isso, certa confusão, ela, nervosa, picara Suzy King.


O Globo, 25 de fevereiro de 1955
Fonte: Acervo O Globo

E eis que em 1955, Carlos, o filho de Suzy King, reaparecia, agora já chamado por ela de Carlos Sampaio de Araújo.
Segundo Suzy King, Carlos sofria de problemas nervosos.
Esse foi o primeiro de uma série de incidentes envolvendo Carlos que ganharam as páginas dos jornais do Rio de Janeiro, culminando com o seu desaparecimento em 1962.



Última Hora, 26 de maio de 1955
Fonte: Biblioteca Nacional


Fonte: Fundo Última Hora, Arquivo Público do Estado de São Paulo

Enquanto isso, as cobras de Suzy King continuavam lhe rendendo notas em jornais.
Essa, por exemplo, datada de setembro de 1955, não incluía seu nome, mas trazia à tona o suposto drama enfrentado pelos moradores do prédio em que ela residia devido à presença ameaçadora de suas cobras no edifício.


Última Hora, 17 de setembro de 1955
Fonte: Biblioteca Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário